Design Thinking

Você sabe o que é Design Thinking?

Clear Light Bulb on Black Surface

Acredito que você já tenha ouvido falar esse termo.

É um termo que à algum tempo está em alta no mercado demonstrando sua antifragilidade  diante das mudanças de cenários que vivemos.

Antifrágil é um termo cunhado por  Nassin Taleb e diz respeito à coisas, ferramentas, métodos, conceitos que estão presentes no nosso dia a dia por bastante e permanecem relevantes

E design thinking entra nessa categoria.

Antes de falar do design thinking em si, vamos falar de uma frase muito interessante de um grande entusiasta do Design Thinking.

Muitas pessoas pensam que design é só pegar qualquer coisa e deixar bonito.

Mas esse não é o conceito completo de Design. 

Design não diz respeito apenas a aparência, não é só o que parece, mas é como funciona!

O grande ponto do Design Thinking e o fato dele ser tão famoso é exatamente isso. Ele não se limita só a estética.

Design está relacionado com como as coisas funcionam, como algo pode ser prático para o dia a dia das pessoas.

A forma de pensar do design se aplica a muitas coisas, e uma delas é a solução de problemas!

É disso que se trata o design thinking:usar a maneira de pensar dos designers para resolver problemas!

Vai ai mais uma frase para reflexão:

“Nós não podemos resolver problemas usando o mesmo tipo de pensamento que usamos quando nós criamos eles”

Se você pensava de um jeito, e isso te levou à um problema, provavelmente você não vai solucionar usando o mesmo tipo de pensamento.

O Design Thiking, por fim, vai te ensinar um novo jeito de pensar!

Então o que é isso?

Qual é a definição?

“Uma forma de pensar, sistemática, para a busca de soluções (inovadoras) para problemas complexos.”

Parece grego não é mesmo

Vamos falar isso de um jeito mais calmo… 

Design Thinking é  basicamente um método para encontrar soluções diferentes e inovar!

Sabe quando você tem um problema e tudo que você tenta fazer para solucioná-lo não da certo? 

Eai chega alguém e te fala: “Pense fora da Caixa” … 

Mas o que seria esse pensar fora do Caixa?

O Design Thinking te ensina exatamente isso!

Ele é uma forma  jeito para você encontrar soluções diferentes e inovar!

Desenvolver essa forma de pensar em criar novas óticas para solucionar problemas pe extremamente importante para se sobressair em um mundo cada vez mais VUCA.

Um mundo onde somos cobrados por inovações diferentes a cada dia e nos deparamos com mudanças constantes, um mundo onde tudo é mais volátil.

Mas como isso funciona?

O design thinking funciona com você fazendo basicamente duas coisas: DIVERGIR E CONVERGIR!

E o que seriam esses dois processos então?

Vamos falar primeiro sobre DIVERGIR

Bom, imaginemos que você tenha um problema inicial qualquer… 

Você e sua equipe se reúnem para entender esse problema e o que está acontecendo.

Ao fazer esse processo para entender o problema, vocês irão sair de uma coisa pequena e explodir em muitas outras coisas, muitas ideias, um grande brainstorm. (Mais a frente falaremos sobre como fazer isso).

ISSO É DIVERGIR!

Logo em seguida você faz o processo oposto, que é o processo de CONVERGIR  as ideias. 

E o que é convergir?

Convergir é pegar o montante de ideias que foram geradas e escolher algumas para serem testadas.

Esse é o básico que você precisa entender do Design thinking.

GERAR UM MONTE DE OPÇÕES E FAZER ESCOLHAS O TEMPO TODO!

Existem diversas abordagens para isso.

O design thinking significa muitas coisas pra muitas pessoas.

Há uma grande variedade de quebras e visualizações de processos, variando normalmente entre 3 e 9 etapas.

Na imagem abaixo temos um exemplo de processo:

Esse é um processo com 9 etapas!

–          Entender | Observar | Encontrar um ponto de vista | Idear | Prototipar | Testar | Fazer a Narrativa | Projeto Piloto | Modelo de Negócio 

São 9 etapas agrupadas em 3 grandes etapas: iInspiração, iIdeação e Iimplementação.

Esse é um modelo mais complexo de executar Design Thinking!

Mas ele não é o único, existem alguns modelos diferentes que você pode utilizar.

“E qual é o melhor deles?”

 Não existe um modelo definido como melhor.

Você pode testar e ver qual é o melhor para o seu caso!

Mas para não deixar esse tópico em aberto… eu vou compartilhar dois modelos de Design Thinking que eu gosto de usar. 😊

Um deles é o da D.School, um método muito difundido no mercado! 

Ele é dividido em 5 passos:

–          Empatia

–          Definição

–          Ideação

–          Protótipo

–          Teste

Para que não fique muito vago, eu escolhi essa imagem que define bem esse processo de Design Thinking, afinal uma imagem vale mais que mil palavras.

Eu já vou dar mais detalhes sobre ele já já…

Antes deixa eu te falar de um outro método que tem uma congruência com esse que eu coloquei acima,  é o método do duplo diamante, que resumidamente seria divergir e convergir DUAS vezes.

O instituto que popularizou o método duplo diamante é o Design Council.

Você deve estar se perguntando agora: “Okay, mas como eu coloco tudo isso em prática?”

Primeiramente, NÃO IMPORTA A ABORDAGEM que você irá usar!

Entenda o conceito principal -> DIVERGIR e CONVERGIR <>

Bom, agora vamos ver na prática, usando a abordagem da D.School.

O Design Thinking começa com a EMPATIA, ou seja, entender o lado do outro, se colocar no lugar do outro, um profundo foco humano!

Mentor, Mentoring, Teaching, Learning, Teacher, Coach

E esse passo vai fazer com que você e seu time se coloquem no lugar do usuário a fim de obter insights que podem revelar novas maneiras de ver as coisas.

“Mas quais ferramentas eu posso usar para saber como o outro está, como eu posso melhorar a experiência deste usuário?”

Alguma dessas ferramentas são:

•       Pesquisas

•       Entrevistas

•       Safari de Serviços (Observação da Vida Cotidiana do Usuário)

•       Shadowing (Imersão na Vida do Usuário)

•       Mapa de Jornada do Usuário

Depois é hora de DEFINIR… Nessa etapa você reúne as informações que foram levantadas e reunidas  durante o estágio de Empatia.

Direction, Decision, Decisions, Junction, Away

É aqui que você irá analisar suas observações, procurar padrões e sintetizar essas informações  para definir os principais problemas que você identificou até esse momento.

Bem provável que nesse momento você encontre coisas que não tinha visão antes! 

E para isso também existem algumas ferramentas:

•       Mapa de Expectativas

•       Definição de Persona

•       Mapa da Empatia

Essa é a primeira vez que ocorre a divergência e convergência!

Depois de entender o problema das pessoas, agora é a hora da IDEAÇÃO!

Light Bulb, Idea, Creativity, Socket, Light

Você já entendeu os problemas (fase de empatia), já (re)definiu o ponto de vista do problema (fase definição).

Agora nós iremos novamente divergir em ideias!

Nesse momento a equipe vai gerar inúmeros meios de soluções para os problemas levantados.

Para isso também temos ferramentas como:

•       Brainstorming

•       Pergunta “Como podemos resolver XPTO…”

•       Perguntas “E se…”

•       Criação de Cenários

Bom, agora que você já divergiu em ideias, está na hora de convergir novamente.

Agora entra a PROTOTIPAÇÃO!

Ux, Prototyping, Design, Webdesign, App, Mobile

Nesse momento, você vai PRIORIZAR as ideias e PROTOTIPAR!

E o que seria prototipar?

É simplesmente criar hipóteses e TESTAR!

Como ninguém tem certeza de nada, o melhor jeito de saber se faz sentido aquilo ou não é testando!

E tenha algo em mente nessa fase: OPINIÃO NÃO É FEEDBACK!

Apenas o feedback de quem usou é relevante para saber se aquilo foi feito com sentido ou não!

Então nesse momento iremos pegar as ideias e criar protótipos para serem testados. Claro que também há ferramentas para essa etapa:

•       Priorização (Matriz Esforço x Benefício)

•       Storyboard

•       Criação de Protótipos

A última etapa é a VALIDAÇÃO!

Agora que que você formulou hipóteses, é preciso TESTAR!

Finalizadas essas etapas chegamos a um ponto importante:

Esse processo de 5 etapas não é necessariamente linear!

O processo é hiperativo.

O processo é vivo, você está o tempo todo fazendo um ou mais de cada etapa!

Claro que você pode definir um tempo para estar no processo de Design Thinking, mas tome cuidado pois ele não é uma cascata!

Não é regra que uma fase seja depois da outra, você pode se enganar no processo de ideação e só irá ver o erro no protótipo, então  você deve voltar para a ideação e refazer o processo novamente.

Esse método de pensar e de resolver problemas pode ser aplicado em qualquer coisa.

Você pode usar para encontrar soluções de projetos, criação de produtos físicos,criação de produtos digitais, educação escolar e em diversas áreas.

Aqui na MindMaster por exemplo usamos o processo de Design Thinking em várias áreas, inclusive no processo de estrutura e criação de novos cursos para nossos alunos. 

Agora vou te mostrar outras abordagens famosas que você talvez já tenha visto mas nem imaginava que era design thinking.

Google Design Sprint

É um processo de 5 dias, para mapear, fazer um desenho, decidir, prototipar e depois testar. 

Esse é o processo de Design Thinking do Google!

No Brasil também temos um processo famoso, o Lean Inception.